quarta-feira, 26 de abril de 2017

Manifesto

Este é o meu manifesto...
O meu amor pelo cinema começou quando tinha 10 anos. Passei um mês nos Açores e vi o Darty Dancing pela primeira vez. E pela trigésima vez... Sim, vi-o todos os dias enquanto estive lá. Ainda hoje consigo, quase 30 anos depois, recitar certas deixas do filme de cor (em português e em inglês!). Mas este não é o único filme onde consigo fazer isto - outros filmes vieram que ficaram, também, gravados na memória.
Cresci com o cinema: aprendendo sobre o amor, a amizade, a condição humana, sobre modos de vida e culturas, sobre arte, filosofia e ciência.
Vejo todos os géneros, do último blockbuster à primeira curta-metragem dum realizador desconhecido.
Recordo, ainda hoje, o assombro que senti quando vi o meu primeiro filme do Ingmar Bergman, Cenas de um Casamento. Mas adoro, também, a trilogia da Guerra das Estrelas porque a vi na idade certa. Jafar Panahi diz em Táxi que todos os filmes merecem ser vistos e eu não posso concordar mais.
Mas os filmes que vejo respeitam um lema - nao violar direitos de autor. Não faço downloads. Todos os técnicos, todos os actores, todos os argumentistas, todos os realizadores devem poder ganhar a vida através do seu talento. E, sim, muitos filmes, grandes filmes arruinaram os seus produtores. Se queremos continuar a assistir a estreias de filmes que não têm como personagens super-heróis (estes também já descontextualizados, adulterados, violentados mesmo) temos que apoiar outro tipo de obras, pagando para as ver.
Com este blog quero partilhar o meu fascínio com esta forma de arte. Não vai ser um espaço para falar sobre as últimas estreias mas sobre todos os filmes, novos e velhos, todos os que permanecem presentes na minha vida, todos os que irão ocupar um lugar no meu futuro.

5 comentários:

  1. Obrigada pelo (duplo) empurrão ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre as ordens (quando vale a pena... E desta valia .) ;)

      Eliminar
  2. Enquanto cinéfilo inveterado, fico encantado pela descoberta deste recanto tão apaixonado sobre a Sétima Arte! Se entretanto descubro que gostas de "The Fountain" do Aronofsky ou do sublime Wes Anderson fico instantaneamente enamorado ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Do Aronofsky ainda não vi esse. Vou à procura dele. E está à vontade para sugerir outros filmes.
      Quanto ao Anderson, "The Royal Tenenbaums" e fiquei fisgada ;). Não falho um...

      Eliminar