sexta-feira, 5 de maio de 2017

The Salt of the Earth

(realizador: Wim Wenders)

"Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens."
Mateus 5:13

A primeira fotografia que surge é de mineiros na Serra Pelada, Brasil.


Em voz off, ouvimos o fotógrafo, Sebastião Salgado, contar como foi estar naquele lugar, o que o impressionou, quem eram aquelas pessoas. E depois, enquanto ele fala, o plano irá suavemente conter as duas imagens, fotografia e fotógrafo. Afinal, ambos são sempre indissociáveis...

As fotografias dele estão inundadas de pessoas: em sítios recônditos, vivendo vidas que julgamos perdidas no tempo, vestígios de civilizações ancestrais; em empregos estranhos, perigosos e invulgares; fugindo de guerras, perseguições, fome e morte.
A história da humanidade, contada em imagens de suster a respiração, quer quando contêm amor e resiliência, quer quando fixam na película os nossos piores instintos e podridão.

Sebastião Salgado diz "We are a ferocious animal. We humans are terrible animals. Our history is a history of wars. It's an endless story, a tale of madness."

Este é um documentário feito com carinho e admiração pelo seu sujeito. Revela-se em muitas coisas mas também na decisão de igualar, em cor (ou ausência dela), a maior parte da fotografia do filme com a cor das fotografias de Sebastião.

Bom filme!


Nota: Wim Wenders vive entre a ficção e o documentário e é sempre extraordinário, não é?

Sem comentários:

Enviar um comentário