quinta-feira, 7 de setembro de 2017

"A insignificância, meu amigo, é a essência da existência. Está connosco sempre e em toda a parte. Está presente mesmo onde ninguém a quer ver: nos horrores, nas lutas sangrentas, nas piores infelicidades. Exige-se-nos muitas vezes coragem para a reconhecer em condições tão dramáticas e para a chamar pelo seu nome. Mas não se trata apenas de a reconhecer, é preciso amá-la, à insignificância, é preciso aprender a amá-la. Aqui, neste parque, diante de nós, olhe, meu amigo, ela está presente em toda a sua evidência, em toda a sua inocência, em toda a sua beleza. Sim, beleza. Como você mesmo disse: a animação perfeita... e completamente inútil, as crianças que riem... sem saber porquê, não é belo?"
Milan Kundera, A Festa da Insignificância 

Reconhecê-la foi fácil, amá-la está difícil. 

Sem comentários:

Enviar um comentário